Receber massagem é como meditar: o comportamento das ondas cerebrais durante uma sessão


A massoterapia (massagem terapêutica) existe há séculos com registros de diversos povos e culturas. Eventos relacionados a tratamentos com técnicas de manipulação manual poderiam ser datados com registro na China há 1.000 anos a. C., ou mais tarde na Índia, ou na Grécia com Herodicus e Hipócrates no século V a. C. Isto nos traz a reflexão da importância no uso desses tipos de terapias manuais, auxiliando na saúde e qualidade de vida dos seres vivos.

 

Antes de falarmos das ondas cerebrais, segue uma lista dos benefícios mais conhecidos da massoterapia:

  • Diminuição dos níveis de estresse;
  • Controle de ansiedade;
  • Alívio de tensões e dores musculares;
  • Melhora do sistema circulatório;
  • Fortalecimento da imunidade;
  • Auxílio da regulação da PA (pressão arterial);
  • Alívio de enxaquecas;
  • Aumento da disposição física;
  • Reequilíbrio do sistema excretor;
  • Estímulo na eliminação de toxinas e resíduos metabólicos;
  • Regulação da qualidade do sono.

 

Além de outra gama de benefícios não listados, receber massagem regularmente facilita o acesso a outros níveis de frequência cerebral, resultando em uma melhor capacidade de aprendizado, concentração, intuição e criatividade.

Ondas cerebrais são ondas eletromagnéticas fornecidas pela atividade elétrica das células cerebrais, elas são estudadas desde 1930 quando Hans Berger decidiu monitorar a variação elétrica na superfície do crânio, surgindo assim a análise das ondas cerebrais.

 

Com a pesquisa nomearam algumas frequências básicas do funcionamento do cérebro, que são medidos por meio de ciclos por segundo ou Hertz (Hz):

  • Gamma (30-70Hz);
  • Beta (13-30Hz);
  • Alpha (8-13Hz);
  • Theta (4-8Hz);
  • Delta (1-4Hz).

 

Cada uma dessas ondas foi correlacionada com estados da consciência. Quando recebemos uma massagem terapêutica como o shiatsu, por exemplo, nosso corpo entra no estado de relaxamento intenso, e com o cérebro não é diferente.

Devido ao estímulo que o corpo recebe durante a massagem, nossa mente também entra num processo de relaxamento, diminuindo a agitação, e o ritmo das ondas cerebrais, entrando num estado de leve sonolência, e, nesse momento, a “mágica” acontece. Induzido pela massagem, nossa atividade cerebral diminui o ritmo, atingindo a frequência das ondas Alpha e Theta.

 

“Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é consequência.” (Einstein, Albert)

As ondas cerebrais chamadas de Alpha são acionadas, por exemplo, quando estamos em relaxamento, durante aqueles pensamentos que fluem silenciosamente ou recebendo massagem, trazendo essa relação para o ato de fechar os olhos durante esse processo. Um momento onde o cérebro está em repouso.

 

Essas frequências de ondas cerebrais aumentam a imaginação e criatividade, a capacidade da memória, facilitam a aprendizagem e a concentração.

São a porta de entrada para o subconsciente da mente. Quando chega-se a essa frequência, devido a atenção plena e isolamento dos estímulos visuais, deixando o indivíduo “internalizado”, nossa mente perde a noção de tempo e espaço, abrindo a porta para que tenhamos um sentido mais aguçado e uso da intuição.

A frequência das ondas Theta é alcançada na meditação profunda e quando dormimos ou quando sonhamos. Ela é o reino do subconsciente, geralmente experimentado momentaneamente quando estamos no meio do caminho entre estar acordado e dormindo.

Nessa faixa de onda cerebral, é possível sentir uma profunda conexão com o universo e com a natureza, percebendo-se como parte integrante do todo. Momentos de emoções profundas geram uma ativação maior dessa onda. Seria essa frequência que um praticante de meditação atinge após muito tempo de treino e foco em atingir esse nível vibracional.

 

Estudos relacionados aos benefícios de atingir as ondas Alpha e Theta, evidenciam que pessoas que estimulam e habituam o cérebro a navegar por essas ondas de frequência, tornam-se pessoas mais tolerantes, adquirem uma postura mais positiva e demonstram mais empatia, são mais calmas e pacientes, mais proativas e resolvem problemas do dia a dia com mais rapidez e competência, assumindo maior controle das emoções, sem interferir na sua capacidade de raciocínio lógico.

 

Para finalizarmos, ao receber massagem regularmente, por exemplo, uma sessão por semana, estamos estimulando e habituando nosso cérebro a mergulhar nestas ondas de frequência, experimentando essa sensação de plenitude, permitindo ao corpo e a mente “recarregar” as forças e realizar seus processos de cura.

 

Texto feito pelo Thiago de Souto.
Revisado por: Eric Gaspar e Gustavo Ogata.